Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Tem como único objetivo defender a inocência de Michael Jackson.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

ANÁLISE DE CHARLES THOMSON SOBRE A INJUSTIÇA FEITA A MICHAEL NA ESCOLA ONDE ELE ESTUDOU

O texto abaixo do jornalista Charles Thomson sobre o episódio que envolveu o nome de Michael no auditório da Gardner Elementary School já foi postado no blog "Michael Jackson Human Nature" para  complementar  uma postagem sobre as escolas em que Michael estudou.
Como a retirada do nome dele do auditório foi motivada pelas falsas acusações que ele sofreu em 2003 e  assim permanceu mesmo com sua absolvição de forma unânime em um tribunal americano em 2005, tal episódio caracteriza-se como MAIS UM DANO MORAL sofrido por Michael em virtude das falsas acusações.
Como é do conhecimento geral, REMEDIARAM o erro depois de 7 longos anos, ou seja, por livre e espontânea pressão.
Por ser este blog específico sobre os fatos que envolveram as ABSURDAS, INFUNDADAS, DESCABIDAS e a forma  como tudo aconteceu, faz-se necessário deixar registrado aqui a retificação forçada que foi feita pelos responsáveis pela escola.
Para muitos fãs, foi uma forma de se fazer justiça a ele. Para outros, não apaga o DANO MORAL que fizeram a ele.
Da minha parte, acredito e espero que toda forma de justiça que puder ser feita para Michael são consideradas VITÓRIAS QUE VÃO SENDO CONQUISTADAS e se existem pessoas tendo que fazer justiça de maneira forçada, o problema é delas e não nosso. Pior seria as coisas continuarem do jeito que estavam. É inaceitável, em pleno século XXI,  um episódio lamentável como o de tampar o nome dele no auditório de uma escola.
O que importa para mim é que essa história veio à tona e muitos viram o pedido de justiça que foi feito em nome dele. 
Procurar e lutar por justiça em nome dele é uma bandeira que teremos que carregar e levantar sempre porque ele SEMPRE foi INOCENTE. Independente da grandiosidade artística que leva o nome Michael Jackson, esse nome significa também a grandiosidade de um homem que lutou pela evolução do Planeta, o que é de INTERESSE DE TODOS NÓS, fãs ou não dele.
Abaixo do texto e de sua respectiva tradução, há um vídeo complementar mostrando o dia em que foi feita a JUSTIÇA.

TEXTO ORIGINAL 
"The US constitution dictates that every American citizen has the right to a fair trial and that until proven guilty, every citizen is presumed innocent. This is a fundamental principle of American life and forms the very basis of the US legal system.Michael Jackson was a US citizen, no different from any other. He had the same rights as any other citizen and when he was exonerated by a jury, he should have walked out of the courtroom with no stain on his character, just like any other US citizen.
But Michael Jackson wasn't treated like any other citizen - not before his trial, not during his trial and not after his trial.
The prosecution of Michael Jackson was one of the most frivolous wastes of taxpayer money and one of the most horrendous abuses of power in the history of California. In pursuing Jackson, Californian police officers breached the terms of their own search warrants, stole defense documents, conducted illegal raids, leaked sealed documents to the media, verbally abused Jackson in television interviews and were caught trying to plant fingerprint evidence during grand jury hearings. This was the dictionary definition of a malicious prosecution.
After Jackson was acquitted on the basis that the prosecution had no evidence and no compelling witnesses, that should have been the end of the matter. But a combination of manipulative propaganda released by the prosecution and shoddy reporting at the hands of the media meant that Jackson wasn't able to walk out of the Santa Maria courthouse with no stain on his character. He was denied this fundamental right. The continued censorship of Michael Jackson's name on the Gardner Street Auditorium is a continuation of this injustice.
Throughout this campaign, staff at Gardner Street School will have heard much about Jackson's charity work and his humanitarian efforts - but in a way, that is all irrelevant. It reads almost as a list of redeeming qualities, but this issue does not call for redeeming qualities. This issue is very simple. Michael Jackson was a US citizen, entitled to the same rights as any and every other US citizen. He was never proven guilty, ergo he was innocent. To continue covering Jackson's name on the Gardner Street Auditorium even after his acquittal is to strongly imply that he was a guilty man. This is unfair, unconstitutional and un-American.
Gardner Street School should decide to once again display Michael Jackson's name on its auditorium not on the basis of a petition or a list of humanitarian achievements - but simply because it is the right thing to do. The continued censorship of Jackson's name on the auditorium is a blow against everything that America is supposed to stand for, and a gesture of support for malicious prosecution, abuse of power and the erosion of civil liberties.
In brief, to uncover Jackson's name would be a gesture of support for everything the American justice system stands for. To continue censoring Jackson's name would be a gesture of support for everything which is wrong with the American justice system.
It is up to the staff of Gardner Street School to decide which of these values they wish to instil in their students."

TRADUÇÃO
"A Constituição dos EUA determina que cada cidadão americano tem o direito a um julgamento justo e que até prova em contrário, todo o cidadão se presume inocente. Este é um princípio fundamental da vida dos americanos, e forma a base do sistema  jurídico dos EUA.
Michael, um cidadão dos EUA, não é diferente de qualquer outro. Ele tinha os mesmos direitos que qualquer outro cidadão e quando ele foi inocentado por um júri, ELE DEVERIA TER SAÍDO DO TRIBUNAL SEM MANCHA NO SEU CARÁTER, EXATAMENTE COMO QUALQUER OUTRO CIDADÃO DOS EUA.
Mas Michael Jackson NÃO FOI TRATADO COMO QUALQUER OUTRO CIDADÃO - NÃO ANTES DE SEU JULGAMENTO, NÃO DURANTE O SEU JULGAMENTO E NÃO APÓS O SEU JULGAMENTO.
A promotoria de Michael Jackson foi um dos resíduos mais frívolos do dinheiro dos contribuintes e UM DOS MAIS HORRENDOS ABUSOS DE PODER NA HISTÓRIA DA CALIFÓRNIA. Na prossecução de Jackson, policiais da Califórnia VIOLARAM OS TERMOS DE SEUS PRÓPRIOS MANDADOS DE BUSCA, ROUBARAM DOCUMENTOS DA DEFESA, CONDUZIRAM ATAQUES ILEGAIS, VAZARAM DOCUMENTOS FECHADOS PARA A IMPRENSA, AGREDIRAM VERBALMENTE JACKSON EM ENTREVISTAS DE TELEVISÃO E FORAM PEGOS TENTANDO PLANTAR EVIDÊNCIAS DE  IMPRESSÕES DIGITAIS DURANTE AS AUDIÊNCIAS DO JÚRI . Esta foi a definição do DICIONÁRIO DE UMA ACUSAÇÃO MALICIOSA.
Depois que Jackson foi absolvido com base no que a promotoria não tinha provas nem testemunhas para serem intimadas, O QUE DEVERIA TER SIDO O FIM DA QUESTÃO. Mas uma combinação de PROPAGANDA MANIPULADORA lançado pela promotoria e relatórios de má qualidade nas mãos da mídia fez com que Jackson NÃO FOSSE CAPAZ DE SAIR DO TRIBUNAL DE SANTA MARIA SEM MANCHA NO SEU CARÁTER. FOI-LHE NEGADO ESSE DIREITO FUNDAMENTAL.  A censura que continuou ao nome de Michael Jackson na  Gardner Street Auditorium é uma continuação desta injustiça.
Durante esta campanha, os funcionários da Gardner Street School terão ouvido muito falar sobre o trabalho de caridade de Jackson  e seus esforços humanitários - mas de certa forma, isso é tudo irrelevante. Lê-se quase como uma lista de qualidades redentoras, mas esta questão não exige qualidades redentoras. Esta questão é muito simples. Michael Jackson era um cidadão dos EUA, o direito aos mesmos direitos que todo e quaisquer outros cidadãos dos EUA . Ele nunca foi provado culpado, logo que ele era inocente.
Para continuar cobrindo o nome de Jackson na Gardner Street Auditorium, mesmo depois de sua absolvição, é fortemente implicar que ele era um homem culpado. Isto é injusto, inconstitucional e anti-americano.
Gardner Street School deve decidir, mais uma vez mostrar o nome Michael Jackson em seu auditório não na base de uma petição ou uma lista de realizações humanitárias -, mas simplesmente porque é a coisa certa a fazer. Continuar a censura ao nome de Jackson no auditório é um golpe contra tudo o que a América  supostamente defende, e um gesto de apoio para a acusação maliciosa, abuso de poder e à erosão das liberdades civis.
Em resumo, descobrir o nome de Michael Jackson seria um gesto de apoio para tudo o que o sistema de justiça americano defende. Continuar a censurar o nome de Michael Jackson seria um gesto de apoio a tudo o que há de errado com o sistema de justiça americano.
Cabe à equipe de Gardner Street School de decidir qual destes valores  pretende incutir nos seus alunos.


Esta é uma VITÓRIA sobre a "doutrina Chandler", bem como   a corja midiática de seguidores que esse incendiário conquistou.

Um comentário: