Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Tem como único objetivo defender a inocência de Michael Jackson.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

NAACP SEMPRE ACREDITOU NA INOCÊNCIA DE MICHAEL E LHE DEU APOIO


No dia 14 de dezembro de 1993, a KEZK-FM, estação de rádio de St Louis, Missouri, retirou a música de Michael de sua lista de reprodução. Uma porta-voz da rádio disse:

"Essa comunidade teve muitos problemas com crianças qu foram molestadas e assassinadas. Agora há um suspeito de assassinatos em série solto que matou crianças. Com a temporada de férias e a ênfase nas crianças nessa época do ano, queremos nos desassociar da imagem que rodeia Michael Jackson neste momento. "

De imediato, Gardfield Boon, presidente do NAACP (Associação Nacional para o Avanço das pessoas Negras) do distrito de St Louis, respondeu de forma imediata e à altura a ignorância radiofônica:

"Condenar Michael Jackson e sua música publicamente quando ele não é acusado de nenhum crime, cheira a um golpe de publicidade barato. Asociar o nome de Michael Jackson aos terríveis homicídios infantis que ocorreram recentemente em St Louis demonstra mau gosto e mau julgamento."

 A carta também chama a decisão da KEZK de "um ataque infundado a um grande artista negro com o propósito de aumentar o número de ouvintes. "

Em 20 de  dezembro, a NAACP ratifica seu apoio a Michael e, em uma entrevista coletiva, enaltece:

"O massacre promovido pela mídia em relação ao artista Michael Jackson e para chamar a atenção para como outros afro-americanos de poder econômico foram vítimas da imprensa."

Em 5 de jaeiro de 1994, Michael retribuiu e agradeceu o apoio reiterando sua total inocência nas acusações que estava passando e fez um discurso no vigésimo sexto Image Awards da NAACP, que foi apresentado em Pasadena.
A aparição de Michael foi surpresa,  para entregar um prêmio a Debbie Allen, por melhor coreografia.
O programa para o Image Awards da NAACP, continha um anúncio de DUAS PÁGINAS consistindo em uma foto de Michael com os dizeres:

"MICHAEL, EU TE AMO - Elizabeth"

Em seu discurso, Michael disse:

"Há décadas, a NAACP está à frente da luta por justiça uniforme sob a lei para todas as pessoas. Eles lutaram em refeitórios no sul, nos santificados salões da Corte Suprema e nas salas de reunião dos Estados Unidos por justiça, igualdade e a dignidade de toda a humanidade.
Membros da NAACP foram presos e até mortos na nobre busca daqueles ideais, sobre os quais nosso país foi fundado. Nenhum desses objetivos é mais significativo para mim neste momento da minha vida do que a noção de que QUALQUER UM É INOCENTE, E TOTALMENTE INOCENTE, ATÉ SER ACUSADO DE UM CRIME E, ENTÃO, CONDENADO POR UM JURI COMPOSTO POR SEUS IGUAIS.
Nunca realmente parei para pensar e compreender a importância desse ideal até agora, até me tornar vítima de falsas alegações e da vontade dos outros de acreditar e explorar o pior antes de terem a chance de ouvir a verdade.
NÃO SOU SÓ CONSIDERADO INOCENTE, EU SOU INOCENTE! E SEI QUE A VERDADE SERÁ A MINHA SALVAÇÃO.
Vocês estiveram lá para me apoiar quando outros não estavam e eu agradeço por isso.
Fui fortalecido na minha luta para provar a minha inocência pela minha fé em Deus e por saber que não estou lutando nesta batalha sozinho.
Juntos, chegaremos ao fim disso."

 Michael Jackson, em 5 de janeiro de 1994

Um comentário: