Os conteúdos expostos nesta página não têm fins lucrativos. Tem como único objetivo defender a inocência de Michael Jackson.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

DEZEMBRO DE 2004: UMA NOVA INVASÃO POLICIAL EM NEVERLAND

Em 3 de dezembro de 2004, pouco mais de um ano após a primeira invasão policial do caso ARVISO, eles voltaram novamente a Neverland, munidos de um novo mandado de busca e apreensão, realizando, assim, uma nova batida - INVASÃO - na propriedade de Michael.
O Departamento de Polícia do Condado de Santa Bárbara, divulgou uma nota na qual explicava que a batida policial fazia parte de uma investigação criminal.

4 de dezembro
Michael chega de helicóptero ao rancho Neverland. Ao chegar lá, os agentes da polícia estão à sua espera para COLHER MATERIAL DA BOCA DE MICHAEL EM BUSCA DE PROVAS.
A polícia pediu uma AMOSTRA DE SALIVA DO CANTOR PARA QUE FOSSEM REALIZADOS OS TESTES DE DNA. Michael concorda em colaborar.

Comentário
Vamos fazer uma matemática e contar quantas vezes a polícia INVADIU propriedades de Michael?

1993
NEVERLAND E CENTURY CITY
Durante as acusações de 93, mais precisamente em 21 de agosto daquele ano, ocorreu o primeiro de uma série de ABUSOS DE PODER POLICIAL contra Michael. Nesta data foi expedido um mandado de busca em Neverland, que dava acesso a todos os aposentos do Rancho, incluindo o quarto de Michael, e também a um apartamento dele em Century City - Califórnia - em busca de provas.
Em Neverland, um serralheiro foi designado pelos policiais para descobrir a chave de um cofre. A operação demorou horas e a única "prova" que conseguiram encontrar foi um papel dentro de uma maleta preta com a combinação do cofre.
Os invasores apreenderam livros, vídeos, fotos, álbuns de recortes.
Foram tiradas fotos das dependências de Neverland, apreenderam agendas de endereços e telefones de contatos de Michael, que foram usados para interrogar mais de 30 crianças e seus familiares. TODOS ELES, SEM EXCEÇÃO, disseram não haver nada de inapropriado no relacionamento com Michael.
ENCINO
Em 8 de novembro, a polícia fez uma batida na propriedade de Michael em Encino. Enquanto a família Jackson estava em Phoenix para o enterro do pai de Joseph, a polícia aproveitou a ocasião para "inspecionar" - INVADIR - o local em busca de provas. Entraram na casa também com a ajuda de um serralheiro.
Os policiais apreenderam livros, revistas, fotos, fitas ávidos por uma prova que incriminasse Michael e cometeram o absurdo de apreender até medicamentos de sua mãe Katherine.
Nessa batida, tudo o que encontraram foi uma fita de vídeo de nome Chicks, achando que seria a prova valiosa que tanto queriam. Mas, ao assistirem o que achavam ser uma preciosidade, encontraram algo sobre pintinhos e aves.

BATIDA NO HOTEL MIRAGE DE LAS VEGAS
O Hotel Mirage, que Michael tinha por hábito hospedar-se, também foi "vistoriado" em busca de provas. Essa busca muito provavelmente foi indicada por June Chandler, mãe de Jordan, que conhecia até o proprietário do hotel, uma das regalias que teve através de Michael. Mas isso será abordado em outra postagem. 
O hotel não era propriedade de Michael, mas foi envolvido em toda essa sujeira que fizeram com ele.

TRÊS INVASÕES EM MENOS DE 3 MESES + HOTEL MIRAGE = 4 INVASÕES POLICIAIS ENVOLVENDO MICHAEL E COM RESULTADO ZERO.
NADA PROVADO CONTRA ELE

2003
- 70 policiais em Neverland (novembro);

 2004
- Nova INVASÃO no início de dezembro;
- Coleta de material da boca de Michael com pretexto de serem feitas investigações.
Em pelo menos uma dessas invasões do caso Arvizo, dona DIANE DIMON estava presente. Não se sabe exatamente em qual delas, mas é FATO que ela foi autorizada a comparecer e esteve em Neverland juntamente com a presença da polícia.
Quem será que autorizou esta mulher a entrar em Neverland?
ELA QUIS TER O PRAZER DE COLOCAR MICHAEL NA CADEIA, MAS NÃO SEM ANTES CONHECER NEVERLAND.
Qual é o verdadeiro lugar em que esta mulher deveria estar?
TOTAL = 7 INVASÕES E NENHUMA PROVA

Quem se importou?
Quem pagou por isso?
Fica por isso mesmo?
E os DANOS MATERIAIS E PRINCIPALMENTE MORAIS envolvidos em tudo isso?
E a repercussão mundial que todas esses FATOS acarretaram? 
E os milhões de dólares do contribuinte que foram usados para fazer acusações e procurar candidatos que quisessem colaborar para colocar um inocente atrás das grades o resto da vida?
E o dinheiro que se gasta com advogados para se defender?
É só cruzar os braços e dizer AMÉM?
Seu nome é jogado na lama por uma REDE DE PESSOAS  e tudo bem?
Ah tudo bem! Vou fazer minha última turnê em Londres e depois vou viver o resto da vida com rótulo de pedófilo e quando eu morrer as pessoas vão continuar pensando e afirmando as mesmas coisas. 
Tudo o que eu construí durante toda a minha vida trabalhando desde criança ficará em segundo plano porque o que prevalecerá são as acusações que fizeram contra mim e eu tive que ficar calado por conta de um maldito acordo.
Tudo o que eu contribuí em obras humanitárias também vai para a lama.
Enquanto isso, os livros que outras pessoas escreveram sobre mim voam por aí, de país em país, passam de mão em mão. Todos contam a sua versão, menos eu, que fui obrigado a me calar enquanto o homem que me extorquiu escreveu livros com mãos alheias.
Meus filhos, meus netos vão ler e ouvir sempre as mesmas coisas, a mídia será sempre a mesma, pois ninguém consegue e/ou não quer fazer nada que possa trazer algo que signifique mudanças.
E assim caminha a humanidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário